O grande triunfo do Vitória. Leão vence o Atlético em Curitiba.

30.09.2013 por Gerson Souza

Leão bravo, leão guerreiro, leão ferido, leão vingativo. O Vitória foi a Curitiba enfrentar o Atlético-PR, até então invicto em casa e dono de uma das melhores campanhas dentro dos seus domínios, e venceu por 5×3 em jogo para cardíacos. Caja, Airton(2x), Dinei e William Henrique balançaram as redes pro Leão. Ederson e Roger descontaram para o Furacão.

O resultado coloca o rubro negro baiano na sexta colocação do campeonato com uma diferença de 7 pontos do quarto colocado, o próprio Furacão.

O Vitória fez, talvez, o seu melhor tempo dentro do campeonato. Jogando com rapidez, marcando muito e eficiente no ataque, o Leão abriu 3×0 na etapa inicial. Bola na área, a zaga cortou mal e Renato Cajá aproveitou a sobra pra abrir o placar. Aos 29 minutos, Airton de falta ampliou o placar. A bola desviou na barreira e morreu no angulo do goleiro paranaense. Se já estava bom, ficou melhor. Já no final do primeiro tempo, Dinei fez boa jogada pela esquerda, cortou pro meio e bateu forte no canto para fechar 3×0 Leão ainda no primeiro tempo.

A felicidade pelo resultado durou pouco mais de 20 minutos. Logo com um minuto de jogo, Marquinhos teve boa chance de ampliar o placar mas parou no goleiro paranaense. O tecnico Vagner Mancini já havia tirado os dois laterais da equipe do Furacão para a entrada de um meia e mais um centroavante.

Aos 11 minutos, Roger cruzou, Kadu não acompanhou e Ederson fez o primeiro do Atlético. Aos 17, Éderson fez o segundo. O atacante dominou, cortou pro meio e chutou para o gol. A bola desviou em Victor Ramos e matou Wilson. A alegria do primeiro tempo dava lugar a desespero. Ney Franco sacou Renato Cajá para a entrada de Alemão. Aos 23, escanteio para o Atlético e Roger cabeceia no canto de Wilson para empatar a partida.

jogo_atleticopr_vitoria_futurapress.jpg_95

Na empolgação do jogo, o Furacão foi todo ao ataque e deixou espaços na defesa. Luiz Gustavo deixou o jogo por causa de cãimbras. Ney Franco colocou o jovem William Henrique em campo para explorar os lados do campo.

O Furacão teve duas chances de ampliar o marcador mas Manoel e Marcelo jogaram para fora. Após a pane generalizada, o Leão voltou a atacar. Wilson cobrou tiro de meta, Dinei brigou no primeiro lance, Alemão brigou no segundo lance e Marquinhos deixou William Henrique na boa para colocar o Leão em vantagem novamente. Vitória 4×3 em jogo para cardíaco.

Com o resultado novamente desfavorável, o Atlético partiu para cima no desespero completo. Em um contra ataque iniciado por Airton, William Henrique fez boa jogada na linha de fundo e cruzou para Airton fazer o segundo dele na partida e decretar o triunfo do Leão!!

 

Comente

A submissão fala mais alto novamente.

30.09.2013 por Diego Brito

 

Em Fevereiro deste ano foi colocada em votação na CBF o fim dos clássicos estaduais na última rodada do Brasileirão, decisão que ajudava a moralizar a última partida do campeonato que vinha sendo usada pelos times para prejudicar seus rivais na luta por título, vaga na Libertadores e rebaixamento.

Os maiores interessados nessa mudança eram os clubes do Rio, São Paulo, Minas Gerais (Pra variar os clubes do Eixo) e a REDE GLOBO. Os motivos alegados por eles eram à falta de segurança e a rodada dupla nos estados do Rio e São Paulo, já a Globo reclamava da perda de ibope ao longo do campeonato.

A votação terminou 11 a 8 com os times dos estados citados votando a favor juntamente com Jahia e Vitória. Isso mesmo, o Vitória, do frouxo do Alexi, se solidarizou com a causa dos times do Eixo e da Globo e ajudou a acabar com o fim da moralização da última rodada da serie A. Portuguesa se absteve e os demais times de  fora do Eixo, ressalvando-se a Ponte Preta, votaram pela manutenção do clássico.

Não bastasse esse episódio o nosso frouxo atacou novamente, agora discordando no movimento criado pelos jogadores contra o absurdo que é o nosso calendário e que vai ficar ainda pior no ano que vem. Leiam o que nosso sábio presidente disse:

“Não entendo por que os jogadores não podem dividir as férias. Em qualquer profissão você tem a opção de não tirar 30 dias seguidos. Não vejo um motivo para os jogadores terem privilégio. Você pode fazer férias menores no início do ano, mas compensar no período da Copa do Mundo. Na soma, os jogadores podem ficar até com 45 dias de descanso”, avaliou Portela.”

Sim, Presidente. Em qualquer profissão o trabalhador tem a OPÇÃO de dividir as férias, mas se ele quiser TEM O DIREITO DE TIRAR OS 30 DIAS DELE. A CBF está impondo a divisão das férias. Além disso, o senhor fala como se o NOSSO TIME não fosse um dos clubes MAIS PREJUDICADOS POR ESSE CALENDÁRIO absurdo!

Logo nosso time que passou várias rodadas sem poder contar com seus principais jogadores por conta de lesões constantes devido à maratona e jogos. Mas, nem isso foi suficiente para o senhor deixar de ser um subordinado da CBF.

O outro fator curioso foi que o Vitória e o Náutico foram os ÚNICOS clubes da Séria A que não tiveram assinaturas dos jogadores no manifesto do Bom Senso F.C. Será a Ditadura também para os jogadores, Presidente? Será que eles não têm o direito de se manifestarem contra a CBF/Globo?

Já não basta nosso processo eleitoral ser antidemocrático?

Que Deus nos livre do seu grupo de amadores em 2014.

Amém.IMAGEM_VITORIA_5

Comente

Vitoria empata no Barradão e situação preocupa

07.09.2013 por Gerson Souza

Vitoria 1×1 Atlético MG

Comente

Vitoria empata no Barradão e situação preocupa

07.09.2013 por Gerson Souza

Vitoria 1×1 Atlético MG

Comente

Vitoria empata no Barradão e situação preocupa

07.09.2013 por Gerson Souza

Vitoria 1×1 Atlético MG

Comente

Atuações e Ficha Técnica – Flamengo 2×1 Vitória

05.09.2013 por Gerson Souza

Clique aqui e leia a resenha do jogo

Wilson: Sem grandes culpas nos gols tomados e ainda realizou duas boas defesas. Nota 6

Airton: Teve um papel maior na marcação de Gabriel e pouco atacou. Nota 5

Victor Ramos: Falhou nos dois gols. Nota 2

Fabrício:  Lento no combate homem a homem e ainda falhou no segundo gol. Nota 3

Juan: Buscou o jogo e tentou algumas jogadas. Fez o gol. Nota 6

Michel: Marcou, cercou, cercou, cercou e só. Não pode jogar sozinho no meio. Nota 5

Luis Alberto: Inoperante em campo. Nota 3

Caceres: Apagado na partida, fez o cruzamento do gol de honra. Nota 5

Renato Cajá: Até tentou alguma coisa mas foi ineficiente. Teve uma boa chance desperdiçada. Nota 5

Maxi: Correu, brigou mas continua improdutivo. Teve boa chance em jogada com Dinei. Nota 5

Alemão: Se movimentou no primeiro tempo. Sai muito para buscar o jogo e tira a referência da equipe dentro da área. Nota 4

Marquinhos: Entrou no lugar de Luis Alberto. Chutou duas bolas com perigo. Nota 5

Dinei: Entrou no lugar de Alemão e participou de uma boa jogada que terminou com a boa defesa de Felipe. Nota 5

Leilson: Ficou pouco tempo em campo. Sem nota.

Ney Franco: Começo de trabalho. Manteve o esquema e o estilo da equipe que vinha jogando. Ainda tem muito a mostrar. Nota 5

Ficha Técnica

Flamengo 2 x 1 Vitória
Série A – 18ª rodada

Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Data: 04/09/2013
Horário: 19h30
Arbitragem: Luiz Flávio de Oliveira (SP). Assistentes: Marrubson Melo Freitas (DF) e Marco Antônio de Mello Moreira (GO).
Cartões amarelos: Maxi (VIT); Hernane (FLA)
Gols: Hernane, duas vezes (FLA); Juan (VIT)

Flamengo
Felipe; Léo Moura, Chicão (Diego Silva), Wallace e Samir; Luiz Antônio, Elias, André Santos e Gabriel (Bruno); Rafinha (Paulinho) e Hernane. Técnico: Mano Menezes.

Vitória
Wilson; Ayrton, Victor Ramos, Fabrício e Juan; Michel, Luis Alberto (Marquinhos), Cáceres e Renato Cajá (Leilson); Maxi e Alemão (Dinei). Técnico: Ney Franco.

Comente

Vitoria joga mal e perde a quarta partida seguida

04.09.2013 por Gerson Souza

Flamengo 2×1 Vitória.

O Leão caiu mais uma vez. Jogando um futebolzinho de baba, o Vitória perdeu para o Flamengo por 2×1 no Rio de Janeiro. Foi a quarta derrota seguida  do Leão dentro da competição. Nesses últimos quatro confrontos foram 10 gols tomados e dois feitos.

Na tabela de classificação o Vitória está a frente por apenas quatro pontos da zona do rebaixamento. 

JOGO

O Vitória entrou em campo contando com a volta do volante Michel para melhorar a marcação no meio campo e fechar os espaços. Mas pouco adiantou. Os jogadores continuaram muito espaçados dentro de campo o que permitiu que o Flamengo flutuasse por esses espaços. Em um desses lances, Elias deixou Hernane sozinho que tocou na saida de Wilson para abrir o placar. Vitória 0×1.

Com o gol sofrido, o Leão tentou explorar os contra ataques e quase conseguiu o empate. Alemão deu bom passe para Cajá que entrou na área mas dominou forte demais permitindo a saída do goleiro Felipe.

 

Clique aqui e veja a nota dos jogadores na partida

 

Já no final do primeiro tempo mais uma bobeada da defesa do Leão. Gabriel cobrou o escanteio, quatro jogadores do Vitória ficaram presos no chão e Hernane, sem marcação, desviou de cabeça no canto de Wilson. Vitória 0×2.

Na volta do intervalo, o time do Flamengo que jogava com três zagueiros abdicou deste esquema por conta da inofensividade do rubro negro baiano. Ney Franco respondeu colocando Marquinhos em campo no lugar do inoperante Luis Alberto. Mesmo com as mexidas o jogo continuava preso no meio.

maxibianucchi_flamengo_glo.jpg_95

Aos 15 minutos, Gabriel recebeu mais um bom passe de Elias dentro da área e Wilson fez grande defesa. Dois minutos depois, Rafinha passou por Michel e cruzou para Hernane, mais uma vez sozinho na área, cabecear para fora. Ney Franco ainda colocou Dinei no lugar de Alemão para tentar melhorar a movimentação no ataque e no seu primeiro lance quase o Leão diminui. Cajá fez o lançamento, Dinei dominou no peito e ajeitou para Maxi pegar de “sem-pulo”. Felipe fez grande defesa.

No final do jogo, Caceres cruzou na área e Juan pegou de primeira para diminuir o placar. Vitória 1×2.

Fim de jogo e mais uma derrota do Leão.

A equipe rubro negra veio a campo com Wilson, Airton, Victor Ramos e Juan; Michel, Luis Alberto, Caceres e Renato Cajá; Maxi e Alemão.

 

Clique aqui e veja a nota dos jogadores na partida

 

Comente

Ney Franco é confirmado e será o novo técnico do Vitória

02.09.2013 por Gerson Souza

A espera não tardou e a direção do Esporte Clube Vitória deverá anunciar nesta tarde a contratação do técnico Ney Franco para o ser novo técnico da equipe. O treinador estava sem clube desde que deixou o São Paulo em agosto deste ano.

neyfranco

Ney Franco começou a ganhar destaque em 2005 quando foi campeão mineiro pelo Ipatinga. De lá seguiu para o Flamengo onde foi campeão da Copa do Brasil em 2006. O treinador ainda teve passagens por Atlético Paranaense, Botafogo e Coritiba onde conquistou a Série B de 2010. Em 2011, Ney Franco assumiu as seleções de base do Brasil por onde ficou até o meio deste ano quando assumiu o São Paulo.

O treinador deverá se juntar a delegação da equipe que disputará, nesta quarta-feira, a partida contra o Flamengo no Rio de Janeiro válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Comente

Até onde vai a culpa de Caio Jr?

02.09.2013 por Gerson Souza

O Vitória fez mais uma partida pífia neste domingo contra o Criciúma e a culpa caiu em cima de Caio Jr. O treinador foi demitido ainda no vestiário rubro negro antes da coletiva pós-jogo. Caio se mostrou bastante abatido na coletiva e apelou para a fé em sua despedida:

“Não imaginava que pudesse acontecer uma situação dessas. São oito meses de trabalho hoje. Fui muito feliz por ter sido treinador do Vitória. Conquistamos um título estadual, da forma como foi. Não perdemos nenhum BaVi,  foi um orgulho para o torcedor. O Brasileiro digno, nas primeiras dez posições, mas infelizmente Deus não quis. Sou uma pessoa de muita fé e por algum motivo a bola não entrou hoje. Estou aqui, com o melhor segundo tempo que fizemos e não conseguimos botar a bola pra dentro”

O resultado contra o Criciúma foi à terceira derrota seguida do Leão na competição que não vence desde o dia 14 de agosto quando bateu a Ponte Preta no Estádio Manoel Barradas jogando muito mal. Aliás, a última boa partida do Rubro Negro foi contra o São Paulo no dia 14 de julho. De lá pra cá, o Leão fez algumas partidas regulares (Fluminense e Coritiba) e outras tantas pífias, mesmo saindo com o resultado positivo. Mas estamos aqui para analisarmos até onde vai à culpa de Caio Jr.

Caio chegou em dezembro do ano passado ao clube. O técnico estava desempregado desde que abandonou o rival. Ao longo de 8 meses, o Vitória de Caio Jr fez 43 jogos; 21 vitórias; 8 empates e sofreu 14 derrotas. Desses 43 jogos, 23 foram disputados contra clubes da primeira divisão (17 no brasileiro, 4 clássicos no baiano e 2 jogos pela Sudamericana) com 10 vitórias, 5 empates e 8 derrotas. Foram 35 pontos em 69 disputados o que dá um percentual de 50,72%. Esses números não são de treinador a ser demitido, mas os problemas de Caio foram às eliminações precoces, o fato de o Vitória ficar totalmente previsível em campo e os sucessivos bailes técnicos levados nas partidas.

caiojr

 

O Vitória começou fazendo uma boa Copa do Nordeste, mas caiu de forma medonha, patética e triste contra o Ceará quando foi goleado por 4×1 em pleno Estádio Manoel Barradas. Na época, em fevereiro, o zagueiro David Braz foi responsabilizado pela derrota e não joga desde então. Mesmo com resultados expressivos nos clássicos pelo Campeonato Baiano, o Vitória caiu na Copa do Brasil diante do Salgueiro com dois empates. Valeu o gol pernambucano marcado na Arena Fonte Nova que eliminou a equipe.

As duas eliminações fizeram com que o trabalho do técnico Caio Jr começasse a ser questionado. A conquista do título baiano aliado a mais uma goleada histórica no rival e o início arrasador no Brasileiro fez com que as criticas diminuíssem, mas não deixasse de existir. O Vitória há muito tempo joga de forma previsível. As substituições de Caio Jr ao longo da temporada são sempre as mesmas. A preparação física da equipe foi questionada desde o início do Brasileiro quando o time passou a ser mais exigido e “morria” na segunda etapa.

Mas a culpa de Caio Jr para por aí. O treinador não tem um elenco suficientemente qualificado. E isso é de conhecimento de todos, menos do Vice-presidente Carlos Falcão que foi totalmente infeliz ao dizer que o clube tinha elenco para disputar duas competições. Ora bolas, o Vitória não possui um lateral do mesmo nível que Nino Paraíba, os seus zagueiros ou são fracos (Reniê, Fabrício, Cardoso, David Braz) ou não estão na sua melhor fase (Victor Ramos). Todos os laterais esquerdos são de regular para medíocre. Na frente de zaga não temos nenhum volante de muita marcação. Todos cercam mais do que desarmam. Renato Cajá é o único meio campista com poder de criação, mas passou a viver uma “má fase técnica” quando passou a ser visado por marcadores melhores. No ataque, só Maxi resolvia. Sim.. resolvia. Porque o gringo tem 3 partidas que parece jogar sem vontade. Não entendam como crítica.. mas o gringo diminuiu o ritmo.

Em uma análise rápida do ataque percebemos que Caio Jr não possuía atletas de qualidade para duelar com grandes equipes. Deram a ele Dinei, Alemão, Pedro Oldoni e Giancarlo. Nenhum dos atacantes com qualidade suficiente pra oferecer dias melhores. A contratação de Camacho para a criação é um erro gritante do treinador que solicitou e um erro gritante da direção que contratou. Direção essa que ainda deu azar ao contratar André Lima e o mesmo se machucar com menos de 20min em campo.

A grande falha de Caio Jr é demonstrar que não sabe trabalhar com o que tem sempre fazendo com que os jogadores se adaptem a um esquema com características específicas. Vander jamais poderia ser o reserva de Escudero. Na verdade, o clube não tem no elenco qualquer jogador com as mesmas características. O nosso meio de campo nunca foi combativo, expondo sempre os zagueiros. Michel, Luís Alberto e Cáceres não marcam. Apenas cercam. Édson Magal teve algumas oportunidades e não apareceu mais. Mas Caio não poderia fazer muito diferente do que foi feito. A qualidade do elenco que foi oferecido é realmente ruim. A direção poderia pensar mais à frente.. mas não. Prefere se ater a um único objetivo na temporada: Não ser rebaixado. É pensar pequeno demais.. mas não podemos exigir muito dessa direção do Vitória que se orgulha de ter montando esse elenco de 2013 quem o classifica como o melhor de sua era, não é mesmo?

Comente

Atuações e Ficha Técnica – Vitória 0×1 Criciúma

02.09.2013 por Gerson Souza

Clique aqui e leia a resenha do jogo

Wilson: Fez uma grande defesa em cabeçada de Marcelo e sem culpa no Penalti. Nota 6

Airton: Se apresentou muito no jogo mas errou praticamente todos os cruzamentos na área. Nota 5

Victor Ramos: Falhou, fez o pênalti e merecia ter sido expulso. Com a bola rolando, errou passes, se posicionou mal e deu sorte pelo fato do Criciúma se limitar apenas a defender na segunda etapa. Nota 2

Fabricio: Fraco, sem velocidade e sem posicionamento. Nota 3

Juan: Discreto, fez um feijão com arroz bem sem sal. Nota 4

Luis Alberto: Com a presença de Elizeu jogou mais solto mas foi pouco produtivo. Aliado a isso só cercou na marcação. Nota 4.

Elizeu: O pior em campo. Errou tudo que tentou e ainda teve liberdade para chegar na frente e chutar algumas bolas. Saiu para a entrada de Dinei. Nota 2

Caceres: Entrou para jogar na frente como ponta e não jogou nada. No segundo tempo recuou para onde vinha jogando e melhorou na partida. Nota 5

Vander: Sem apoio.. continuou com seu futebolzinho pouco produtivo. Deu um chute com perigo a gol. Saiu para a entrada de Marquinhos. Nota 4

Maxi: Vem mantendo a média das últimas partidas. Luta muito mas produz pouco. Pouco produtivo. Nota 4.

Alemão: Preso entre os zagueiros, melhorou na segunda etapa quando saiu mais pro jogo. Teve sua chance numa sobra de bola e mandou pra fora. Nota 5

Marquinhos: Entrou bem no lugar de Vander dando mais movimentação ao ataque. Quase marcou um golaço que pegou na trave. Nota 6

Dinei: Veio pro jogo no intervalo. Se movimentou bastante mas não conseguiu marcar na chance que teve. Nota 5

Caio Júnior: Veio com um time diferente mais uma vez e não conseguiu arrumar a equipe na primeira etapa. Resultado foi a inoperância rubro negra. No segundo tempo mexeu bem na equipe mas deu azar pela qualidade das peças que compõem o elenco.

Ficha Técnica

Vitória 0×1 Criciúma

Local: Estádio Manoel Barradas (Barradão), em Salvador (BA)
Data: 1 de setembro de 2013, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro:Francisco de Assis Almeida Filho (CE)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
Árbitros adicionais: Charles Hebert Cavalcante Ferreira (AL) e Flavio Feijo de Omena (AL)
Cartões amarelos: Victor Ramos (VIT), Gilson (CRI), Ayrton (VIT), Matheus Ferraz (CRI), Lins (CRI), Serginho (CRI), Galatto (VIT)
Gols: Marcel (CRI)

Vitória: Wilson; Ayrton, Fabrício, Victor Ramos e Juan; Cáceres, Luís Alberto, Elizeu (Dinei) e Vander (Marquinhos); Maxi e Alemão
Técnico: Caio Júnior

Criciúma: Galatto, Tony, Matheus Ferraz, Leonardo e Marlon; Serginho, Elton e João Vitor; Lins (Douglas), Marcel (Morais) e Fabinho (Cassiano)
Técnico: Sílvio Criciúma (interino)

Comente

Perfil

Gerson Souza é editor do leaodabarra.com, Gerente de Projetos de Comunicação e tem seus 20 e poucos anos de VIII-TÓÓÓÓ-RIA!!! LA LA IÁ LA LA IÁ VIII-TÓÓÓÓ-RIA!!!

Busca

Assine o RSS

1